fbpx

É possível fabricar gênios?

Olá! Começo este artigo falando diretamente sobre seu título: alguns vão dizer que não se pode fabricar gênios, uma vez que o indivíduo já nasce com esta condição; outros dirão que é difícil ou até impossível ensinar temas complexos a crianças e a adolescentes, isso por falta de conhecimento de base que se adquire somente através do percurso escolar, para assim poderem ser compreendidos nas Universidades.

Eu não poderia simplesmente responder de modo positivo a estas afirmações, sem antes explicar o porquê de achar perfeitamente possível criar gênios precoces independente de seu quociente de QI, contrariando uma parcela de pessoas que ainda vivem dentro de bolhas de realidade.

Quando decidi criar a Geek Force School junto com meu sócio, não foi um mero acaso, já trabalhávamos com ensino de tecnologia para adultos, entre nossos cursos, alguns dos quais eram considerados complexos, como, por exemplo, os de Engenharia Reversa, Pentest e Análise Forense Digital. Igualmente, o próprio uso avançado do sistema operacional Linux foi abordado, usando todo o sistema apenas com comandos: nada de mouse em nossos cursos! Até o simples ato de copiar e colar tinha que ser realizado digitando comandos. Para muitos da área de TI foi algo simples, mas não para todos; se você não conhece da área de tecnologia, poderá se surpreender com o fato que menos de um terço de todos profissionais referentes a ela conseguem usar o Linux plenamente somente na linha de comando. Mas onde está a relação que se faz entre o tema de fabricar gênios, e o porquê de eu estar citando essas experiências em minhas ponderações, a fim ar explicar por que acho possível?

Porque muitos de nossos alunos não tinham nada a ver com a área de tecnologia, eles queriam um novo rumo profissional. Entre eles havia vendedores de todas as áreas, corretores de imobiliários, auxiliares de escritórios e vários outros segmentos, e a média de sucesso com estes alunos – mesmo em cursos complexos – foi extraordinária. Sabe qual foi a solução brilhante para alcançar este resultado? Apenas permitir que os alunos que tiveram dificuldade refizessem seus treinamentos sem custo adicional, simples assim.

Se podemos transformar um corretor imobiliário em um consultor de segurança da informação, podemos também ensinar temas complexos para crianças e adolescentes, sem ter que reinventar a “roda” para isto: apenas antecipando os temas considerados avançados – muitos só apresentados em cursos superiores – para o período da infância e da adolescência, apenas diluindo este conhecimento com a didática e oferecendo o tempo necessário para o jovem cérebro se adaptar.

Uma curiosidade que gostaria de citar é que quanto mais jovem é nosso cérebro, mais facilidade de aprender ele tem, justamente por ter mais espaço e menos stress para alocar conhecimento.

Mas isto não seria suficiente para poder responder a pergunta referente ao título deste post, justamente porque estávamos falando sobre adultos e experiências próprias em nossa outra escola, chamada Linux Force Security. Portanto levemos as ponderações para um nível mais convincente: vamos falar de crianças, citar alguns exemplos de mentes brilhantes e seus feitos, para depois esclarecer um fato comum entre todas elas, fato este que pode deixar você intrigado em relação ao futuro de seus filhos, alunos ou, inclusive, você mesmo, caso seja você um jovem que teve a ousadia de ler este texto. Isto já prova que você é capaz de se juntar ao nosso time de gênios, tenho plena certeza disto. Vamos lá…

Aqui temos Tanmay Bakshi, nascido em 2003 na Índia, ele tem atualmente 15 anos e roda o mundo dando palestras sobre programação, especialmente sobre inteligência artificial. Não vou relatar todos seus feitos, mas a imagem fala por si só, começou a estudar programação aos 5 anos, aos 9 anos criou seu primeiro aplicativo na Apple Store, e aos 12 anos se tornou o mais jovem programador de IA na plataforma Watson da IBM.

Aqui, temos um jovem que começou seus estudos de programação com 13 anos de idade, e que, aos 16 anos, já escrevia códigos para maquinas de fliperama, sem mais delongas porque os feitos deles foram épicos, precisaríamos de um livro para contar toda sua história. Este menino hoje é um dos homens mais ricos do mundo: nada mais nada menos que Bill Gates.

Pasmem com a imagem! Este é Misha Osipov, garoto russo com 4 anos de idade, jogando com o GrandMaster Averbakh de 95 anos de idade, jovem prodígio em xadrez que começou a estudar aos 3 anos de idade. Misha é a mais jovem promessa do xadrez mundial.

Existem muitos outros exemplos precoces, como Dafne Almazan do México, que se formou em psicologia com 13 anos de idade; Zora Ball, a menina americana que programou um jogo completo para celulares aos 7 anos de idade, utilizando Bootstrap; e uma das que eu mais gosto: a jovem Laura Dekker, que com 14 anos, iniciou sua volta ao mundo pelos oceanos sozinha ao bordo de um veleiro de 38 pés, completando com sucesso sua missão após nada mais nada menos que 518 dias, completando seus 16 anos durante esta grande aventura.

Eu poderia passar dias e dias escrevendo sobre jovens talentosos em suas mais variadas especialidades, mas o fato é que todos eles possuem algo em comum: ambos começaram a estudar ou treinar muito cedo para seus feitos, e não estudaram sozinhos: não foram os pais os responsáveis, foram mentores ou professores.

No caso do programador Tanmay Bakshi foram 4 anos até o primeiro aplicativo oficializado na Apple Store e sete anos até chegar em inteligência artificial, em todos os outros casos foram mais de um ano de treinamento. Em alguns casos intensivos, o que os pais deste jovem tinham em relação aos demais pais? Eles fugiram da bolha da realidade deles com o objetivo de procurar algo que no momento seria inimaginável, e descobriram que a única coisa que impede que uma criança se torne um gênio é apenas a falta de direção para isto. Quem aqui pode contestar tal afirmação se nunca tentou explorar seus limites, principalmente na melhor fase de aprendizagem, quando temos todo o tempo do mundo com as menores responsabilidades?

Hoje um fato que poucos percebem é que temos vários jovens com conhecimentos avançados sobre os mais variados temas, como jogos de vídeo games, por exemplo Já parou para analisar a complexidade dos jogos atuais? Temos também adolescentes que sabem todos os detalhes da vida de seus ídolos do mundo musical, incluindo datas, todas as músicas e ainda gostos pessoais, entre vários outros temas que atraem a atenção do público “teen”. E esses conhecimentos poderiam facilmente ser substituídos por inglês, programação e robótica, tudo é uma simples questão de tempo, de estímulo e de acreditar. Jamais subestime a capacidade de nossas crianças e jovens, eles já fazem coisas notáveis.

Enfim, se crianças que hoje são consideradas gênios passaram anos estudando para atingirem seus feitos, eu digo com toda as letras que: sim, é possível fabricar gênios, e para isto precisamos fazer apenas algo muito simples, ter a iniciativa de ensiná-los rompendo os limites que a educação tradicional estipulou subestimando nossos talentos naturais.

Autor: Marcio Mariano Galvão – Grupo Force Education.

 

 

13/01/2019

0respostas em "É possível fabricar gênios?"

    Deixe sua mensagem

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Sobre nós

    A Geek Force School foi criada para revolucionar a educação brasileira, romper limites na capacidade de aprendizagem infantojuvenil é a nossa missão.

    São Paulo - Capital - BR
    11 3796-5900
    contato@geekforce.com.br

    Últimos Twitter

    Quem está online

    Não há usuários online neste momento
    Copyright © Grupo Force Education - Desde 2011.
    X